O Tapisco já tem sotaque do Norte


A mesa é, por excelência, um local de partilha como já provou Henrique Sá Pessoa no Tapisco, em Lisboa, desde a sua abertura em Fevereiro de 2017. Agora o chef, em parceria com o grupo Multifood, leva o conceito da partilha para o Porto, onde acabou de abrir a segunda morada deste restaurante.

No número 165 da Rua Mouzinho da Silveira instalaram-se todas as referências a que o chef já nos habituou na capital… e muito mais. O menu tem sotaque do Norte e seis novidades frescas na carta, além de algumas substituições. “Os clientes do Porto que iam a Lisboa pediam-me para levar o Tapisco para a cidade e, sendo assim, não fazia sentido alterar totalmente o menu. O ADN da cozinha é o mesmo: a carta é idêntica, mas achámos que fazia sentido ter aqui pratos como as Tripas, por exemplo”, adianta o chef.


O grande vencedor deste novo menu é o capítulo das Brasas, que ganha três novos pratos: o Carabineiro grelhado com alioli e salada de tomate (29€), o Polvo à Lagareiro com batatinha assada (18€) e a Posta Minhota Galega 300/400gr (23€), numa ode às referências nortenhas.

Nos Tachinhos, a Paella Negra com sépia y alioli compromete-se a conquistar o paladar nortenho, a par dos novos Arroz de Bacalhau com tomate e coentros (19€) e das Tripas à moda do Porto (17€). A nova sobremesa de Morangos com bolo de azeite e sabayon de vinho do Porto (6€) é um rival à altura da Mousse de chocolate negro com azeite e flor de sal.


A famosa La Bomba assume o nome da cidade onde agora se instalou e o choco frito é aqui servido num prego com a irresistível maionese de coentros e lima. Já os ovos mexidos passam a ser servidos com alheira de caça, em vez de espargos.

A vermuteria ganhou protagonismo – cresceu em referências e em tamanho e agora tem lugar próprio, independente do balcão, à entrada do restaurante. É que a cultura espanhola do vermute quer conquistar também o Porto e, por isso, traz na manga os conhecidos Príncipe, Monarca e Majestade (todos a 10€), os cocktails de assinatura que se mantêm na carta.

Instalado numa das principais artérias da cidade, ocupa o piso térreo de um edifício reabilitado com muita luz natural, e é maior que o de Lisboa. Com 200m2, o novo espaço tem lotação de 59 lugares (9 deles ao balcão).


Para Rui Sanches, do grupo Multifood, “depois do grande sucesso em Lisboa decidimos levar a experiência ibérica do Tapisco para o Porto. Este é um projecto revivalista, que casa tradição com inovação e que, além disso, homenageia a restauração local, que é tão convidativa quanto a cidade.”

A cozinha, à semelhança da do restaurante em Lisboa, é aberta e recebe os clientes à entrada. A imagem de marca do Tapisco – o balcão – era imprescindível na Invicta. Ali assume forma em “L” e acolhe quem lá queira fazer a refeição. Os cocktails ou os três únicos petiscos da carta de bar são bons companheiros de quem aguarde disponibilidade de mesa na nova zona de espera, composta por uma mesa alta sem bancos.

Neste estilo retro, inspirado no ambiente elegante dos restaurantes e snack-bars dos anos 50 a 70, o restaurante recorre a apontamentos em latão desenhados à medida para o espaço e elementos originais para compor a decoração. Todas as cadeiras de madeira do restaurante são da marca Olaio dos anos 60 e foram objecto de recuperação – além de restauradas, foram estofadas em pele natural verde-seco, tal como aconteceu com os sofás, pensados para momentos de conforto. Em vermelho cor de vinho são os azulejos tridimensionais que cobrem o lambrim alto, e contrastam com a pedra lioz creme dos tampos das mesas, estantes e balcão.

Para já o restaurante tem um horário reduzido e está aberto apenas à hora de jantar, em soft-opening, das 19h às 00h.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Grandes Escolhas Vinhos & Sabores 2018

Design Wines - já nasceu a loja do blog

Enoturismo em destaque nas comemorações do Dia Mundial do Turismo