O novo restaurante de gastronomia original japonesa que vai cortar com o óbvio



Na origem do arquipélago do Japão está Izanagi, o deus criador do mundo, das coisas e das restantes divindades da mitologia japonesa. Daí ter sido esta a escolha para o nome deste novo e irreverente restaurante de gastronomia japonesa. A assinatura é do chef Daniel Rente, um dos mais conceituados sushimen portugueses.

IZANAGI, o novo projecto do grupo SushiCafé segue o caminho da descentralização. Localizado na zona das Docas, em Alcântara, de frente para o rio e com a brisa do Tejo a fazer-se sentir, este restaurante japonês lidera um movimento para revitalizar esta zona da cidade, com cerca de 60 lugares, entre um interior cool e a convidativa esplanada à beira-rio.


Determinado a desmistificar a ideia pré-concebida do que é um restaurante japonês, aqui o sushi e o ramen passam para segundo plano. O IZANAGI quebra todas as regras a que nos habituámos nos ‘japoneses’ ao servir, como evidencia o chef, “uma oferta gastronómica genuína, que vai à base do que os japoneses comem não só em restaurantes, como em suas casas, na rua, nas ‘tascas’ japonesas, nos mercados, nas feiras...” Isso mesmo: petiscos e comida de partilha, numa oferta única em Lisboa, que corta com o óbvio.

As propostas do chef Daniel Rente são de confecção simples, mas intensas no sabor! “Tal como procuramos comida regional portuguesa, o IZANAGI oferece o melhor da gastronomia original japonesa. Queremos que os nossos clientes provem a melhor Robatayaki de Lisboa e o melhor Okonomiyaki que alguma vez experimentaram. Tudo através da qualidade dos ingredientes que usamos e da criatividade que impomos em cada prato”. É caso para dizer que, se um japonês visitar o IZANAGI, se sente ‘em casa’.

A originalidade do IZANAGI inicia-se com os snacks e saladas: Tori karaage (asas de frango panadas com aioli, 5€), Hamachi (fatias de lírio com azeite de trufa, 8,50€), Somen Salad (salada de massa fina e fria com pepino, porco fumado, tomate cherry, Portobello e enoki, 8,50€), e Horenso No Goma Ae (espinafres frescos com molho de sésamo, 6€), entre outras tantas opções, óptimos pontos de partida, e de partilha.

Izanagi deu vida ao mundo e, como divindade máxima, formou os elementos e a Natureza. É por isso que no restaurante nada mais é preciso do que o fogo, uma constante na cozinha, a contrastar com o frio azul do Tejo. No capítulo Robatayaki – pratos grelhados no carvão –, o Miso cod (bacalhau grelhado com molho amai miso, 12€), é uma das especialidades, ao lado da Buta bara (barriga de porco grelhada com molho BBQ, 4€), ou do Tuna (atum grelhado com teriyaki e cebolinho, 8,50€). Qualquer um destes pratos pode ser acompanhado por New potato (batatinha nova com orégãos e alho, 3€), ou Izanagi coleslaw (salada de couve com maionese de wasabi, wasabi peas e cherry assado, 3€), servidos à parte.

As propostas de Teppanyaki (grelhados na chapa) são as únicas que incluem acompanhamento. É possível escolher entre Gyu (naco de carne grelhado na chapa, chips de alho, batata doce frita e aioli, 16€), Ebi (camarões grelhados na chapa, legumes, batata doce frita e aioli, 14,80€) e Tori (frango de campo grelhado, legumes, chips de alho, batata doce frita e aioli, 9,50€).

Mais tradicional que o Okonomiyaki não há. A famosa panqueca nipónica (também há quem se refira a este prato como pizza japonesa, graças ao formato) lança-se à conquista dos gostos portugueses e, no IZANAGI, é servida com legumes, camarão e queijo, de nome Ebi Cheese (13,25€); ou com legumes, calamares e camarão seco, a Hot Calamari (11,50€).

As propostas de sushi vão estar sempre dependentes da sazonalidade dos peixes nacionais, do atum à corvina. Mais: aqui também o arroz tem um sabor alternativo, graças à receita única que lhe junta um preparado enzimático e o torna mais brilhante e saboroso.

E para quem não dispensa a sobremesa, o Miso cheesecake (cheesecake com caramelo de miso e gelado de maçã verde, 4,50€) e a Freaky Asian Banana (tempura de banana, gelado de baunilha, caramelo de miso, chantilly e m&m’s, 4,50€), são quase criminosas – matam-nos de prazer!

Para começar, acompanhar a refeição ou apenas para brindar, o IZANAGI também inova com os cocktails criados por Ben, o chefe de bar, que transporta alguns dos ingredientes que Daniel Rente coloca nos pratos para os copos de cocktails. “O Meron (6,50€), que significa melão em japonês, tem uma abertura de midori, em que adicionamos vodka e limão, que o deixa muito fresco e aberto”, explica. E continua: “Quanto ao Chotto Matte (7€), o sabor é puramente terra, é um cocktail super seco”. O cocktail de assinatura, o Izanagi Spicy Mule (7€), “tem sido o mais falado até agora. Inclui uma infusão de sake e vodka, tougarashi, ginger beer, limão, pepino e um pouco de coentros”. E, em breve, vem aí a Sangria Izanagi, que, tal como todas as outras ofertas no IZANAGI, irá

surpreender: “Vai ser diferente de tudo, com young coconut vindo da Tailândia e vagem de baunilha. Vai ser muito perfumada e aberta“. Para quem quiser fugir ao álcool, pode optar por um mocktail, como o Ginger Basil-Spritzer (4,50€), ou o Matcha Detox (5€). E até a limonada se chama Yuzonada, já que o limão é aqui substituído pelo cítrico japonês Yuzu.

O IZANAGI é um espaço descontraído, em que a experiência é espontânea e sem imposições. Leva-nos além do que esperamos num restaurante japonês e a conhecer algumas sugestões típicas da genuína gastronomia nipónica. Uma visita apenas não chega para provar tantos sabores diferentes. É uma autêntica celebração da comida japonesa sobre o fogo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Grandes Escolhas Vinhos & Sabores 2018

Design Wines - já nasceu a loja do blog

Enoturismo em destaque nas comemorações do Dia Mundial do Turismo