No novo ERVA restaurante não se come só verde



O ERVA privilegia a portugalidade, o produto local, a autenticidade e a boa comida. O abrigo perfeito para o talento e garra da nova cozinha portuguesa. O chef Carlos Gonçalves traz para a carta as texturas e os sabores simples que falam por si. Inspirado pela energia da capital, o ERVA é um convite a explorar outras artérias de Lisboa, cada vez mais cosmopolita e descentralizada. Um restaurante a portas meias com o Corinthia Hotel, mas aberto para a rua, reflexo do espírito vibrante de Lisboa. 


Está tudo à vista, com o conceito de open kitchen, que proporciona uma sensação de proximidade e revela a noção de transparência que reflecte a cozinha autêntica e despretensiosa do ERVA. O menu aproveita ao máximo os produtos frescos de fornecedores locais. O verde invade o espaço e a Natureza entranha-se num ambiente orgânico, cuja raiz assenta na autenticidade. Os jardins verticais que forram as paredes, a madeira que dá calor e conforto e o ferro que sustenta e reforça a sua vivacidade. 
O ERVA oferece uma comida despretensiosa, sem grandes misturas. O que se vai provar está à vista. Não queremos camuflar o sabor natural dos alimentos, do produto. O ERVA é natural nesse sentido, ao não retirar a essência do produto”. Chef Carlos Gonçalves



E a experiência começa logo no couvert, com uma selecção de manteigas caseiras, azeite extra virgem e vinagre Quinta das Bágeiras, acompanhados por uma seleção de pão da Gleba Padaria. E quem se aventurar nos snacks pode escolher entre Samos de bacalhau, grão e ovas fumadas, Gamba marinada, abacate e pele de frango crocante ou Batatas bravas, tártaro de lulas e crème fraîche de lima.


Já nas entradas, o peixe e marisco fresco da Lota de Peniche continuam a comandar a carta com o Carapau com salada algarvia, tomate e beterraba, o Atum marinado com melancia, laranja e presunto Pata Negra, o Carpaccio de polvo com sapateira e molho de gaspacho, e o Bacalhau fresco com maionese de alho, pickle de cebola e molho unagui.


Nos pratos principais, destaque para o Polvo na brasa com pimentão fumado, caviar de beringela, couve portuguesa grelhada e a Corvina com arroz de lingueirão e salicórnia. Nas carnes, um dos pratos mais pedidos é a Pá de cordeiro de leite assada com batata aligot, a desossar na mesa. Outra opção, a Vaca da cabeça aos pés, que se desfaz na boca, acompanha-se com cherovia e cogumelos. Mas também pode optar pelas Carnes de raça Minhota maturadas, ou outras ofertas nada carnívoras, como a Beringela gratinada com molho karashi e a Salada de legumes da região de Runa.


Se ainda tiver espaço, não perca as sobremesas e termine em grande com o Brulée de yuzu, ananás dos Açores e merengue, o Queijo de cabra da região de Maçussa, alperce, limão e avelã, ou a selecção variada de fruta da época.

O ERVA não é só um restaurante: na barra de bar servem-se cocktails de autor, originais e deliciosos, mais os eternos clássicos da arte da mixologia! 

O bar serve cocktails exclusivos criados pelo Bar Manager Nelson Antunes, especialista em mixologia molecular, e que se inspira nas receitas de cocktails clássicos e na paleta visual única da cidade de Lisboa. Mas a oferta também passa pelas cervejas artesanais e engarrafadas, uma completa carta de vinhos, licores e outras bebidas.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Grandes Escolhas Vinhos & Sabores 2018

Design Wines - já nasceu a loja do blog

Enoturismo em destaque nas comemorações do Dia Mundial do Turismo