Ana Pinho e Nádia Piazza recebem Prémio Dona Antónia Adelaide Ferreira

A economista e gestora Ana Pinho, Presidente do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da Fundação de Serralves, e a jurista Nádia Piazza, Presidente da Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande, receberam ontem, nas Caves Ferreira, em Vila Nova de Gaia, os PRÉMIOS DONA ANTÓNIA ADELAIDE FERREIRA 2017, que comemoram este ano a sua 30ma edição.

Há cinco anos, este prémio dividiu-se em dois galardões. O original Prémio Consagração de Carreira, atribuído nesta edição a Ana Pinho, pretende homenagear um percurso de vida consolidado e merecedor de inequívoco reconhecimento público, e o Prémio Revelação, agora concedido a Nádia Piazza, visa reconhecer um percurso de vida com relevância em fase de afirmação e desenvolvimento – neste caso concreto, na área da responsabilidade social.

O prémio foi criado para prestigiar mulheres portuguesas cujo percurso de vida revele uma identificação estreita com os valores pessoais e profissionais personificados por Antónia Adelaide Ferreira. Dona Antónia ficou para sempre associada à figura de empreendedora e humanista que inspirou, de forma determinante, o desenvolvimento da marca Porto Ferreira e de toda a viticultura duriense.



Ana Pinho, licenciada em Economia pela Universidade do Porto e com várias pós-graduações em escolas internacionais, é uma gestora multifacetada com trabalho reconhecido em organizações muito diversas, dedicando particular interesse ao mundo da Arte e à sua história. Para além de presidir ao Conselho da Administração e à Comissão Executiva da Fundação de Serralves desde janeiro de 2016, Ana Pinho é também Administradora da TAP SGPS desde junho de 2017 e da Oporto British School desde abril de 2104, integrando ainda a Direção da Associação de Turismo do Porto desde setembro de 2017. Ana Pinho pertenceu à Direção da Associação Comercial do Porto, tendo anteriormente desenvolvido atividades especializadas como economista na Schroder Securities, em Londres, e no Banco Português de Investimentos, no Porto.

O seu particular interesse por História de Arte levou-a a frequentar vários cursos na Fundação de Serralves, na Sociedade Nacional de Belas Artes de Lisboa, na Christie’s Education London e no Sotheby’s Institute London.


 
Quanto a Nádia Piazza, assumiu um posicionamento público relevante na sequência do trágico incêndio florestal que devastou a região de Pedrógão Grande em junho de 2017. Tendo perdido o seu filho Luís, de cinco anos, e os seus haveres nesse fogo de proporções incalculáveis, Nádia Piazza assumiu um papel central no processo negocial com as autoridades nacionais no sentido de reclamar uma pronta e justa resposta para as carências enfrentadas pelas populações atingidas pela catástrofe.

Com uma vasta experiência como jurista na gestão de múltiplos projetos de desenvolvimento económico e social junto de diversas entidades, Nádia Piazza, que iniciou os seus estudos pós-graduados em Direito, em Portugal, em 2001, tem visto a sua atividade premiada, nomeadamente na área da cidadania. Figura preponderante no lançamento de diferentes iniciativas que pretendem minorar os efeitos dos fogos florestais, impulsionou projetos como as Aldeias Resilientes – Programa para a Autoproteção e Resiliência das Populações, Safe House, Abrigo Coletivo, Oficina 4C, bem como um programa de trauma.

Para além do galardão, Nádia Piazza receberá um donativo da marca Porto Ferreira para aplicar num dos seus projetos de ajuda às populações atingidas pelos fogos florestais, sendo o montante apurado através de uma percentagem das vendas em Portugal da gama Reserva Dona Antónia de Porto Ferreira, nos meses de agosto e setembro do corrente ano.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os 8 melhores cocktails para beber à esplanada este verão

Bubbles Day celebra champagnes e espumantes portugueses

Abelharuco - o vinho alegre e encantador