Chef Miguel Laffan regressa a casa e mergulha no Atlântico



Uma sala redecorada, muito mais ampla, luminosa e confortável; um menu feito de raiz, pleno de referências ao mar, ‘democrático’ e eclético; toda uma nova filosofia para um ambiente sofisticado mas familiar e acolhedor, e o mar, mais próximo do que nunca, a encher a sala, o coração e o olhar, a inspirar a vida nova de um dos espaços mais bonitos e bem localizados de Estoril, Cascais — eis o novo Atlântico Bar & Restaurante, no Intercontinental Estoril, sonhado, pensado e criado pelo chef Miguel Laffan e pela sua equipa.


O regresso a casa

“Provocado" pela administração do hotel para recriar o antigo Atlântico e fazer do restaurante um espaço à sua medida, Miguel Laffan não teve dúvidas: “Aqui, quero dar tudo o que aprendi nos últimos anos... Regresso mais rico, muito grato, mais maduro e experiente. A minha equipa e eu optámos por um conceito honesto, onde só queremos fazer as pessoas felizes”, diz o chef sobre este novo desafio profissional. Assim é o novo Atlântico: um “restaurante Miguel Laffan", desde a sua génese até ao mais ínfimo detalhe; um projecto total e integrado, em que o chef trabalhou não apenas a carta, mas todo o conceito, desde a reorganização do espaço, à decoração, passando pelos vinhos e pelo serviço.


Do Mariscador de Cascais, passando pelo Peixe do Atlântico, ao Do Talho para a Grelha


O menu, com um adn muito nacional, explora a proximidade do mar e a relação de Laffan com pescadores, produtores e fornecedores locais: muitos deles amigos da sua infância, com quem jogou à bola na rua. Quase todo o peixe e mariscos vêm da Costa do Sol e de Peniche, mas também se dá um salto a Setúbal. No primeiro capitulo, o Mariscador de Cascais, destacam-se a Gamba branca ao natural (16€), os Percebes das Berlengas (18€) e o Lingueirão na chapa com alho e coentros (14€). Segue-se o Atlântico Twist, com propostas um pouco mais exóticas, como o Tártaro de atum, o original (16€), o Tom Yam Kum de lavagante (18€) e os Camarões ao alho nobre com chili e coentros frescos (16€). O terceiro capitulo, Pasta e Risotto, traz massa fresca e sabores mediterrânicos à mesa, com Tagliatteli de marisco com molho de champanhe e açafrão (26€) e Risotto de espargos verdes com parmesão de 12 meses (22€).

Para os gostos mais clássicos, não falta a cozinha de conforto, no capitulo Peixe, com Polvo à lagareiro (26€) ou Bacalhau confitado em azeite com grão, ovo e cebola picada e salsa (26€). O chef regressa ao mar, com o Peixe do Atlântico, onde propõe Salmonetes de Setúbal braseados com molho Atlântico (30€), Pregado com molho de caril e manjericão (30€) e Robalo da linha com molho à francesa (30€). Por fim, Do talho para a grelha, apresenta Presa de porco ibérico (28€), Vazia de novilho com 30 dias de maturação (30€) e Costeletas de cordeiro (30€). No derradeiro capítulo, o das sobremesas (todas a 6€), da autoria da equipa de pastelaria da casa, o Ninho de chocolate e as Texturas de framboesas e pistácio partilham a página com o Brownie de chocolate e avelã o Créme brûlée de maracujá e a Mousse de queijo Chévre com mel e alfazema. 

Com um menu democrático e transversal, mas não demasiado extenso, o novo Atlântico by Miguel Laffan, apresenta uma cozinha simples, de produto local e nacional, acessível e prazerosa: sabores autênticos, típicos ou mais contemporâneos, cujo denominador comum é a identidade de cada estilo e de cada prato, "sem fusões ou revisitações".


A Equipa: pessoas experientes e dedicadas, que partilham o ‘coração Miguel Laffan'

Para o acompanhar neste desafio, o cozinheiro rodeou-se de uma equipa experiente e da sua confiança, “pessoas que conhecem e partilham o coração Miguel Laffan”. O seu braço direito, o chef Executivo, é o Duarte Batista, com quem trabalha há vários anos no L’And, em Montemor, que será apoiado por cozinheiros com quem Miguel trabalhou noutros projectos. A equipa de pastelaria mantém-se, por ser “extraordinária e dedicada”.

Mas ninguém conhece o coração de Miguel Laffan como Kikas Lagoa, a sua mulher e brand manager, que cuidou da decoração e do ambiente do Atlântico: no novo espaço reinam agora o conforto e a elegância em azuis, verdes marinhos e bege, num espaço requintado, mas discreto, inspirado na vista deslumbrante sobre o Oceano Atlântico.


Miguel Laffan 

Natural de Cascais, Miguel Laffan ficou conhecido por ter colocado o Alentejo no palco dos destinos premium da gastronomia, quando, em 2011, aos comandos da cozinha do L’And, em Montemor-o-Novo, ganhou a sua primeira estrela Michelin, e a primeira (e única) estrela do Guia Vermelho para a região. Antes, tinha passado pela Fortaleza do Guincho, então sob a consultoria do chef Antoine Westermann, 3* Michelin. Dali, foi para o Le Jardin des Remparts, de Roland Chanliuad (Beune, França, 1* Michelin) e a seguir para o Le Clous de la Violette, de Jean-Marc Banzo (Aix-en-Provence, França, 2* Michelin). Do seu currículo fazem ainda parte, já como chef Executivo, o Hotel Casa Velha do Palheiro (Funchal) e o Hotel Quinta da Casa Branca (também no Funchal), até ingressar no L’And Vineyards, onde virou, literalmente, uma página na gastronomia nacional.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os 8 melhores cocktails para beber à esplanada este verão

Bubbles Day celebra champagnes e espumantes portugueses

Abelharuco - o vinho alegre e encantador