Pratos de caça são novidade no Restaurante Herdade das Servas


Em tempo de caça e porque a aposta em pratos confeccionados com produtos da época é um dos princípios da cozinha do Restaurante Herdade das Servas, são cinco as novas iguarias que Paulo Baía acrescentou à ementa do espaço que abriu recentemente na propriedade dos irmãos Carlos e Luís Serrano Mira, em Estremoz.

‘Perdiz à Chefe’ (perdiz estufada com legumes salteados e castanhas), ‘Tarte de Perdiz’ (empada de perdiz com salada de alface cortada à Juliana), ‘Ensopado de Lebre’ (um típico ensopado alentejano com as sopas de pão à parte), ‘Arroz Bravo’ (com pombo bravo) e ‘Feijoada de Lebre’ são os novos sabores que vão estar disponíveis durante o Inverno. Os dois primeiros – de perdiz – podem ser apreciados todos os dias, mas os pratos de lebre e pombo bravo apenas ao fim-de-semana.

Situado na Herdade das Servas, o Restaurante com o mesmo nome prima por uma cozinha de base regional com alguns apontamentos de inovação, a fim de atingir não só o público de fora, mas também os alentejanos, para quem a cozinha tradicional faz parte do quotidiano. Em regime de concessão, Paulo Baía é o empresário que está no comando deste novo projecto, assumindo não só a propriedade do mesmo mas também a chefia de sala. A cozinha é assegurada pela sua irmã, a chefe Maria da Fé Baía. Aberto todos os dias, ao almoço e jantar, à excepção de terça-feira, este é um espaço que promete “alimentar” ainda mais a excelente e típica gastronomia alentejana.

Como não poderia deixar de ser o vinho vai ter um lugar de destaque no Restaurante Herdade das Servas. A ementa foi elaborada em parceria e para cada prato – sopas, peixes, carnes – há uma sugestão de maridagem com um dos néctares do produtor. A refeição pode ser feita à carta ou elegendo um dos dois menus existentes: Vínico e de Degustação.

A uma ementa fixa juntam-se opções que vão sendo acrescentadas de acordo com a sazonalidade dos produtos, bem como algumas sugestões diárias ou de fim-de-semana, como é o caso do ‘Borrego Assado no Forno’. Para breve, a chefe Maria da Fé Baía vai criar pratos com caça (com perdiz, e pombo bravo, por exemplo), entradas com túberas e com espargos selvagens. Das especialidades fazem parte os ‘Cogumelos Grelhados e Recheados com Farinheira’, a ‘Sopa de Tomate à Alentejana’, o ‘Cação de Coentrada’, o ‘Borrego Assado no Forno’, as ‘Costeletas de Borrego Panadas’, as ‘Migas à Alentejana (com entrecosto)’, as ‘Bochechas de Porco com Esmagada de Batata à Alentejana’ e, numa vertente mais “vanguardista”, o ‘Bife Wellington’. Neste registo e no que toca ao peixe, o ‘Salmão Folhado’ tem feito a delícia dos visitantes locais. As sobremesas, todas elas caseiras, são de comer e chorar por mais: ‘Pudim das Servas’, ‘Pudim de Ovos’, ‘Sopa Dourada’, ‘Charcada’, ‘Toucinho do Céu’, ‘Quente e Frio’, ‘Pêras Bêbedas’ e ‘Gelado de Baunilha com Molho de Chocolate, Caramelo ou Frutos Vermelhos’.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Um novo patamar de alta gastronomia

Symington sugere cinco presentes

Foz Torto lança novas colheitas