Ministro da Economia lança desafio aos empresários para que façam do “Portugal Sou Eu” um catalisador da economia


“Lanço um apelo aos empresários e produtores aqui presentes, para que aproveitem as potencialidades do Portugal Sou Eu e continuem a fazer deste programa um catalisador da economia. O «Portugal Sou Eu» vai continuar à disposição de todos os que defendem com orgulho a qualidade única dos produtos portugueses e o talento das pessoas que trabalham diariamente para o reconhecimento da marca Portugal em todo mundo.” - foi com esta frase que o Ministro da Economia, António Pires de Lima, encerrou os trabalhos do primeiro Fórum “Portugal Sou Eu” que decorreu hoje, dia 27 de novembro, no Centro de Congressos de Lisboa.
O claro potencial de evolução do “Portugal Sou Eu” foi o tema central de uma tarde de debate e reflexão sobre o balanço e a estratégia futura do programa. Perante uma audiência com mais de 600 convidados, 26 oradores debateram a Portugalidade, as Potencialidades e os Benefícios do programa, e as suas Perspetivas Futuras, tendo contado com a moderação dos jornalistas Júlio Magalhães e Fernanda Freitas, embaixadores do “Portugal Sou Eu”. (ver conclusões em anexo)
Coube a Miguel Cruz, Presidente do IAPMEI, aglutinar as diversas perspetivas debatidas e concluir que o “Portugal Sou Eu” é um instrumento relevante para elevar a notoriedade das empresas portuguesas no mercado interno e externo e consolidar a portugalidade junto dos consumidores. Durante a sua intervenção salientou que “para que o programa possa cumprir a sua função de desígnio nacional há que aliar criatividade ao estabelecimernto de uma estratégia de longo prazo com um modelo de sustentabilidade que garanta a sua perenidade, focada nos principais objetivos do “Portugal Sou Eu”: contribuir para a melhoria  da competitividade das empresas portuguesas, para a promoção do  equilíbrio da balança comercial, para o combate ao desemprego e para o crescimento sustentado da economia”.
A abertura do programa ao setor dos serviços, o desenvolvimento do conceito ‘estabelecimento aderente’ para os sectores do comércio e da restauração e o alargamento do orgão operacional foram também formalmente comunicados pelo Presidente do IAPMEI, assim como algumas linhas de orientação estratégica para futuroMiguel Cruz adiantou ainda   “O programa “Portugal Sou Eu” deve prosseguir o seu caminho, sem descontinuidades nem mudanças na sua identidade; deve ser intensificado o esforço de investimento para sensibilizar as empresas a reforçarem a incorporação nacional; e as redes de fornecedores entre as empresas devem ser potenciadas de forma a facilitar contactos entre empresas, dinamizando alternativas de incorporação nacional.”
Entre oradores e convidados foi consensual a ideia de que a portugalidade está na ordem do dia e as empresas têm que capitalizar esta tendência, correspondendo aos anseios e critérios de exigência dos consumidores.
No final do evento foi apresentado pela primeira vez o Fado “Portugal Sou Eu”, da embaixadora Cuca Roseta, e investida a nova embaixadora do Programa, a apresentadora Fátima Lopes.
Foi ainda assinado um protocolo com o INATEl para o desenvolvimento de projetos-piloto que permitem alavancar a atribuição do selo, em diversos setores de atividade.
Quase um terço das empresas aderentes ao programa marcou presença neste Fórum com uma exposição de produtos com o selo, em sectores tão diversificados como alimentação e bebidas, moda e acessórios, artesanato e lazer, entre outros. A exposição foi visitada pelo Ministro da Economia, António Pires de Lima, e pelo Secretario de Estado Adjunto e da Economia, Leonardo Mathias, juntamente com os embaixadores presentes na sessão de encerramento Rosa Mota, Luis Buchinho, Justa Nobre, Júlio Magalhães, Fernanda Freitas, Fátima Lopes e Júlio Isidro, assim como  por todos os participantes e convidados.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Um novo patamar de alta gastronomia

Symington sugere cinco presentes

Foz Torto lança novas colheitas