A garrafeira que vai ao encontro do cliente


A garrafeira Vinhos & Companhia, no Peso da Régua, atravessou o oceano Atlântico até à Ilha Terceira, nos Açores, para promover o vinho do Douro e, em poucos meses, conseguiu vender cerca de 2000 garrafas dos mais diversos produtores durienses.
O proprietário Nuno Almeida disse hoje à agência Lusa que a aventura dos Açores começou por intermédio de um oficial da Base Aérea das Lajes, e salientou que, a partir de 30 de abril, realizam já a terceira prova de vinhos em Angra do Heroísmo.

O responsável referiu ainda que, nessa altura, vai ser lançado o vinho da garrafeira, o Homenagem feito pelo enólogo Jean-Hugues Gros, em memória a um amigo já falecido, Óscar Gouveia.

Criada em maio de 2009, a Vinhos & Companhia representa cerca de 50 pequenos e médios produtores da mais antiga região demarcada do mundo, a do Douro.

"Nós debruçamo-nos principalmente no pequeno produtor, que não tem meios financeiros para apostar no marketing e colocar o produto no mercado", frisou Nuno Almeida.

Acrescentou que a garrafeira aposta na diferença, pelo que escolhe essencialmente vinhos que não se encontram nas prateleiras dos supermercados.

Na garrafeira também se encontram colheitas de nomes sonantes do Douro, como o de Jorge Moreira, este ano eleito o enólogo do ano pela Revista de Vinhos.

Nuno Almeida sustenta que uma garrafeira não sobrevive só com as vendas feitas ao balcão, até porque o Douro recebe muitos turistas entre abril e Setembro mas depois esvazia-se, pelo que a aposta passa por fazer ações promocionais e workshops no Porto e Lisboa.

A Vinhos & Companhia quer marcar ainda a diferença pelo horário de funcionamento até à meia noite.

A iniciativa nos Açores, que está neste momento a ligar dois sítios Património Mundial da UNESCO, o Alto Douro Vinhateiro e a cidade de Angra do Heroísmo, já se traduziu em oportunidades de negócio.

Segundo o responsável, as duas primeiras ações tiveram como palco a Base Aérea das Lajes, tendo vendido cerca de 2000 garrafas Douro e dado a provar vinhos de 20 produtores da região.

Entusiasmados com a descoberta do Douro estão Orlanda e Vítor Paiva, ela açoriana e ele lisboeta, controlador de tráfego aéreo na Base Aérea das Lajes.

Durante um passeio pelo Douro o casal disse à Lusa que é apreciador de vinho e que está a ajudar a garrafeira a organizar a próxima iniciativa que vai decorrer, entre 30 de abril e 02 de maio, em Angra do Heroísmo.

Fonte: Açoriano Oriental

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Chegou o Azeite Novo Gallo 2017/18

Skyna Hotel Lisboa dá as boas-vindas a 2018

Valados de Melgaço distinguida no International Wine Challenge