Real Companhia Velha lança LVB 2010 e Vintage 2012


A Real Companhia Velha tem novidades no que toca ao vinho do Porto. Da Quinta das Carvalhas chega ao mercado o Late Bottled Vintage (LBV) de 2010, um vinho cheio de personalidade, bastante encorpado e frutado, ideal para beber de imediato. Com a assinatura da “casa mãe” surge o sublime e intemporal ‘Real Companhia Velha Porto Vintage 2012’, produzido a partir de uvas de seleccionadas parcelas de Vinhas Velhas, de um ano em que as condições climatéricas deram origem a vinhos de excelência.

O ‘Quinta das Carvalhas Porto LBV 2010’ foi fermentado em lagares de granito e através do processo tradicional da pisa a pé, antes de cumprir um estágio de quatro anos em balseiros de carvalho. Com um volume de álcool de 20%, é um Porto de excepção e repleto de carácter: apresenta umbouquet equilibrado, com notas de cereja preta e nuances de esteva, complexadas com chocolate preto e leves toques de madeira. Tem densidade e firmeza, e um final muito longo e persistente, o que o torna na companhia ideal para queijos fortes e doces tradicionais de chocolate. Pode ser consumido de imediato, mas é detentor de uma excelente evolução em garrafa.

Das Vinhas Velhas da Real Companhia Velha chega-nos o ‘Real Companhia Velha Porto Vintage 2012’, um vinho de intensa cor púrpura, reveladora da sua juventude. Com um bouquet de fruta madura e nuances florais e de esteva, é um vinho que se revela firme, mineral e com grande definição. No entanto, mostra-se elegante e rico, com taninos suaves e um final de prova longo e persistente. Este Vintage de 2012, que deu origem a uma produção de 3.000 garrafas, exprime o carácter de um ano que se destacou pelo Inverno mais seco dos últimos 40 anos, tendo esta seca sido ligeiramente atenuada em Abril e Maio. A fraca precipitação e a consequente baixa disponibilidade de água nos solos condicionou o vigor das plantas e deu origem a um forte desavinho e bagoínha, que, ainda assim, proporcionaram uma colheita de uvas maduras e em perfeitas condições. As uvas foram posteriormente transportadas para a adega em caixas de pequena dimensão e pisadas a pé, seguindo os preceitos ancestrais da região do Douro, e tendo o vinho estagiado em balseiros de carvalho durante dois anos nas caves da Real Companhia Velha em Vila Nova de Gaia.

Comentários