Vítor Sobral inaugura a ‘Taberna da Esquina’ em São Paulo


Tascas e tabernas são verdadeiras instituições portuguesas. Depois de levar a sua interpretação de tasca para São Paulo, com a Tasca da Esquina, o Chef Vítor Sobral mantém a sua parceria com Érica Maierá e Edrey Momo e inaugura uma nova casa, a Taberna da Esquina, no cruzamento das ruas Bandeira Paulista com o Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, no Itaim-Bibi. O projeto foi criado especialmente para a cidade: “Queria apresentar um conceito diferente, mostrar as várias receitas que podem ser feitas com os mesmos produtos”, explica o Chef Vítor Sobral, grande admirador da gastronomia lusófona, que também é proprietário da Cervejaria da Esquina, em Lisboa, e da Kitanda da Esquina, em Luanda, além da matriz da Tasca da Esquina na capital portuguesa e das suas filiais de São Paulo e João Pessoa.

“As Tabernas são estabelecimentos de convívio, onde o vinho e a grelha são os motivos de encontro", admite o Chef. O bar-restaurante, cujo o Chef-residente é Mateus Correa, é tão informal e descomplicado como a casa-irmã, com receitas clássicas das tradicionais tabernas portuguesas, como petiscos na grelha, fritos e conservas, servidos em porções de partilha. Para beber, vinhos portugueses, alguns deles a copo, e cocktails e bebidas à base de vinhos, como o porto tónico e a sangria.

Abrem o menu os petiscos da grelha, da lata ou frituras em versões criativas do Chef, entre elas o Bolinho de arroz ou as Pataniscas de bacalhau e legumes com creme de feijão-fradeDa grelha vêm a Orelha de Porco e vinagrete de cebolas e coentros,  petiscos que não podem faltar nas verdadeiras tabernas portuguesas. Já da lata, vêm conservas Portuguesas finalizadas na casa com um toque de criatividade, como os Filetes de cavala ligeiramente picantes com abacate e coentros.

Os “Imperdíveis”, feitos na grelha, são servidos em porções generosas. O prato da casa será o Bacalhau à taberneiro grelhado, sempre preparado com pele e espinha, para manter a carne bem tenra e suculenta. Para os que preferem carnes podem sugerir-se o Bife do Patrão - corte de fora da folha da alcatra servido mal passado. Cada prato acompanha uma guarnição a escolher de uma lista que traz sugestões como Batata doce assada ou Puré de grão de bico e Feijão verde com amêndoa.
Para finalizar o menu, doces portugueses como a Baba de Camelo e a Sopa Dourada, feita com castanha do Pará ao invés das amêndoas e ovos. Para acompanhar, Café expresso Delta e licor Amendoeirinha ou Ginja de Óbidos.

A carta de vinhos possui cerca de 70 rótulos, todos eles portugueses, de regiões como o Alentejo, Douro e Setúbal. O vinho da casa, omnipresente nas tabernas portuguesas, é servido em garrafas de 375 ml, tinto ou branco. O menu de vinhos a copo reúne várias opções entre tintos, brancos e rosés e oito sugestões de vinhos em taça de sobremesa, como Porto e Moscatel. Há ainda uma única cerveja, a portuguesa Super Bock.

Comentários