ViniPortugal investe na formação a copo


Com um novo conteúdo mais focalizado na promoção dos vinhos nacionais, no seu bom serviço e na divulgação das vantagens da implementação de um serviço a copo de qualidade, assim serão as várias acções de formação promovidas pela ViniPortugal. Serão realizadas à segunda-feira, nas salas de provas da ViniPortugal, em Lisboa e Porto, de 19 de Janeiro até 14 de Dezembro.

As formações são de inscrição gratuita e realizam-se entre 15h e as 18h, conduzidas pela formadora Daniela Macedo.  

O novo formato das formações prevê ser mais abrangente e focar não só no serviço de vinho a copo, como incidir na sensibilização para o vinho, aumento de conhecimento, introdução à especificação dos vinhos e das castas nacionais e potenciar o melhoramento do serviço de vinho nos dois principais centros turísticos nacionais.  

Jorge Monteiro, presidente da ViniPortugal, afirma que “ Porto e Lisboa foram definidos como os alvos prioritários da formação de vinho a copo, promovida pela ViniPortugal. O foco continuar a ser formar o Canal Horeca a nível nacional, reforçar o seu conhecimento do vinho nacional e transmitir as inúmeras vantagens do serviço de vinho a copo.  A ViniPortugal considera que existe ainda muito trabalho a desenvolver para melhorar o serviço de vinho a nível nacional, fundamental para conquistar o consumidor e promover a qualidade dos vinhos portugueses”

Programa de Formação:
Lisboa:
19 de Janeiro
16 de Fevereiro
30 de Março
20 de Abril
18 de Maio
8 de Junho
28 de Setembro
12 de Outubro
9 de Novembro
14 de Dezembro

Porto
5 de Janeiro
2 de Fevereiro
2 de Março
6 de Abril
4 de Maio
1 de Junho
21 de Setembro
26 de Outubro
23 de Novembro
7 de Dezembro

Comentários

Louro & Tapas disse…
O Alentejo foi considerado o melhor destino mundial para apreciadores de vinho em 2014. À formação prevista para 2015, não lhe ficava mal ter em conta este facto que não é assim de tao pouca importancia. Deverá ser tambem promovida formação no Alentejo para melhor potenciar a escolha com o conhecimento a fornecer na formação, ajudando a consolidação de conhecimento com aquilo que as pessoas e agentes escolheram livremente como o destino de elição.