Vinho do Porto passa a ter dicionário


São mais de 250 anos de história de um vinho único, que é uma instituição nacional e que representa Portugal e o seu povo, que se encontra refletido no novíssimo Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto, da autoria de Manuel Pintão, Mestre fundador da Confraria do Vinho do Porto, e Carlos Cabral, reconhecido enófilo brasileiro. O dicionário será apresentado no auditório do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, no próximo dia 15 de outubro, às 18:00, pelo presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP), Manuel de Novaes Cabral.

Resultado de seis anos de pesquisa feita de ambos os lados do Atlântico, este Dicionário regista os eventos relevantes no vinho do Porto e na sua história, as personalidades, os regulamentos, as casas e os locais de produção, os vocábulos e nomes das ferramentas da tanoaria, bem como informação relacionada com a produção do “Néctar do Douro”. De salientar também as fotografias e as ilustrações que se encontram nas quase 600 páginas do Dicionário e que contribuem para que se considere esta obra verdadeiramente excecional.

Para o presidente do IVDP “este dicionário é uma forma diferente e apelativa de dar a conhecer a história, as estórias e as pessoas que construíram o vinho do Porto. Trabalhos como este são também um meio de promoção do vinho do Porto e, por isso, o IVDP é o local mais adequado para a sua apresentação. O facto de resultar da convergência de perspetivas de dois autores de diferentes países, Portugal e Brasil, traz valor acrescentado do mercado brasileiro que é muito importante para o vinho do Porto”.

Como se pode ler na Introdução, este Dicionário “nasceu da paixão dos seus autores pelo vinho do Porto”, uma paixão que é vivida por milhões de pessoas em todo o mundo. É a essas pessoas, mas também a historiadores e pesquisadores, que se destina o Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto, uma obra completa e única no mundo dos vinhos.

Comentários