Vinhos da Península de Setúbal querem intensificar relações comerciais com a China


De olhos postos no emergente mercado chinês, oito produtores da região vitivinícola da Península de Setúbal viajaram esta semana para a China com o objectivo de promover as relações comerciais com importadores, distribuidores e profissionais do sector. Shenzhen, uma das mais importantes e populosas cidades chinesas, foi a primeira paragem dos vinhos lusos, onde decorreu no dia 26 de Maio, uma prova exclusiva dos vinhos da região para mais de 200 profissionais. As acções de promoção continuam em Hong Kong, na VINEXPO – Asia-Pasifc, uma das maiores feiras asiáticas do sector, que decorre entre os dias 27 e 29 de Maio.

Com um peso de 3,6% em valor na balança de exportações de vinho para países terceiros, o mercado chinês representou em 2013, 11 milhões de euros - segundo dados do IVV - posicionando a China entre os 10 mais importantes mercados de países terceiros para os vinhos portugueses. Neste sentido, a Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS), elegeu a China, o Brasil e Angola como países estratégicos para o plano de promoção internacional 2014/2015. No conjunto estes três países representaram, em 2013, um valor de exportações na ordem dos 133 milhões de euros, 42,5% do valor total das exportações de vinhos portuguesas para países terceiros. 

A CVRPS prevê investir 1 milhão de euros no plano estratégico de promoção internacional 2014/2015, e estima que deste orçamento 20% se destine à China, 45% ao Brasil e 35% a Angola. Henrique Soares, presidente da CVRPS, garante que "o plano de promoção da CVRPS é ambicioso. Temos em marcha um conjunto de acções nestes três países que englobam presenças em importantes eventos e feiras do sector, acções de “merchandizing”, acções de formação, provas e visitas à região de jornalistas e críticos provenientes dos três países.’

Os dados estatísticos revelam um crescimento sustentado para os vinhos da Península de Setúbal. Ao nível da certificação,registou-se em 2013 um aumento de 17,5% nos vinhos com Denominação de Origem Setúbal (Moscatel de Setúbal e Moscatel Roxo), DO Palmela e IG Península de Setúbal. A nível do consumo nacional na moderna distribuição, a região mantêm a terceira posição na preferência dos consumidores, registando em 2013, um aumento de 0,6% na sua quota de mercado.

No âmbito da exportação 34% dos vinhos certificados da Península de Setúbal (DO e IG) destinam-se ao mercado externo, sendo actualmente Angola, Brasil e China os principais países de destino fora do espaço comunitário.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...