In a Glass e Maria João de Almeida selam parceria



A Portugal In a Glass – Loja do Produtor (um novo projecto de rede de retalho e distribuição internacional) e o portal mariajoaodealmeida.com / Vinho.tv, juntaram-se numa parceria que se vai traduzir na realização de cursos e outras formações na área dos vinhos dentro e fora do país.
 
A inauguração da primeira loja da Portugal in a Glass vai decorrer ainda este mês, no dia 19 de Abril, na Vila Bicuda (em Cascais), e os primeiros cursos vão já acontecer em Maio. Serão compostos por quatro fins de tarde (todas as terças-feiras do mês) direccionados a quem aprecia vinho mas pouco sabe sobre a matéria e quer aprofundar um pouco mais os seus conhecimentos. Os cursos serão dados por diversos formadores credenciados, entre os quais, Maria João de Almeida (jornalista e crítica de vinhos) e os escanções Rodolfo Tristão (Presidente da Associação dos Escanções de Portugal) e Bruno Antunes (Melhor Escanção de Portugal 2013), entre outros. 
 
O projecto InaGlass surgiu da necessidade de criar um canal de vendas que ligue directamente o produtor ao cliente e consumidor. Um ambicioso projecto de rede de retalho de distribuição nacional mas, sobretudo, Internacional. «Criar vinhos é inspiração, vendê-los é transpiração, e a proporção de cada uma das variáveis é muito diferente» afirma Rui Borges, um dos sócios, que ao longo de cinco anos se apercebeu de que o negócio é mau do ponto de vista da distribuição de ganhos pelos intervenientes. A solução passa, segundo o empresário, por criar uma loja do produtor. «Quando um consumidor paga 10€ por uma garrafa de vinho acredita que o produtor é rico, mas sete euros e meio ficam pelo caminho». Então, porque não o produtor ir directamente ao consumidor?», remata.
 
Para criar o conceito foram visitadas cerca de 119 empresas produtoras de vinho, sendo que 45 reuniram condições para se associar ao projecto. Além das lojas em várias regiões nacionais, serão abertas outras lojas no estrangeiro, tendo como mercados-alvo o Brasil, Angola e Moçambique, países que reconhecem a qualidade do vinho português. Mais tarde, o projecto poderá avançar para países como o Luxemburgo e França. A abertura de lojas internacionais está prevista para o primeiro semestre do próximo ano e a empresa deverá contar com 20 lojas em seis anos, das quais dez serão no Brasil. «Tenho tido a sorte de me associar a projectos que têm muito a ver comigo. Projectos que amam a vida e a singularidade dos seus aromas. Os vinhos são uma paixão» revela Rosarinho Sommer, outra das sócias do projecto, responsável pela comunicação, Marketing e Relações Públicas.
 
Os cinco fundadores estão todos ligados à produção de vinho de excelência. Rui Diogo Borges e Rosarinho Sommer, por exemplo, durante anos desempenharam funções executivas nas «Terras de Alter», mas decidiram largar esse projecto para abraçar este novo e ambicioso desafio. Os outros sócios são Helena Araújo (CEO), Susana e Nuno Costa Campos. Um grupo de amigos empreendedores ligados anteriormente a grandes empresas mas detentores de fortes laços à agricultura e aos vinhos.
«O mercado português está aos trambolhões, o consumo caiu e ninguém paga. Os produtores estão pressionados a vender a qualquer preço para esvaziar as adegas e vinificarem novas colheitas. Pensámos por isso que seria interessante criar um conceito paralelo para dar aos produtores uma ajuda. Este projecto baseia-se em três pontos muito importantes para o país: associativismo, agricultura e exportação», explica ainda Helena Araújo , CEO da InaGlass.

Já para Maria João de Almeida, fundadora e mentora do portal www.mariajoaodealmeida.com e da www.vinho.tv , esta parceria significa uma forma de alargar o seu portfolio de formações e não só. «Nos últimos tempos temos estado a internacionalizar a empresa através de formações e pequenos eventos com vinhos portugueses. O conceito nacional e, sobretudo, internacional da In a Glass tem por isso tudo a ver com o nosso projecto. Junta os interesses de ambas as partes e esta parceria surgiu naturalmente e de forma inevitável», explicou a jornalista e crítica de vinhos.  

Comentários