Centenas de jovens portugueses recebem formação em “Vinho e Saúde”



Alertar para os perigos da embriaguez em idade escolar e informar sobre os benefícios do consumo moderado de determinadas bebidas alcoólicas, são os objetivos da Fenadegas com a iniciativa “Vinho e Saúde”. Esta ação, inserida no programa europeu “Vinho com Moderação”, vai andar em 2013 pelas Escolas Profissionais Agrícolas e de Turismo de Portugal, sendo que Odivelas, Abrantes, Alcobaça, Santo Tirso, Marco de Canaveses, Vagos e Faro são as próximas localidades a serem abrangidas pelo programa educativo da Fenadegas.
“Apesar do consumo excessivo de álcool estar a diminuir entre os jovens, a verdade é que os adolescentes que bebem estão a iniciar o consumo cada vez mais cedo, revelando tendência para o exagero e para a habituação. Nesse sentido, a Fenadegas, enquanto organismo promotor da atividade vitivinícola das adegas e cooperativas de Portugal, sente-se responsável por desenvolver uma estratégia de prevenção e consciencialização para a temática das bebidas alcoólicas no geral e do vinho em particular”, afirma Basto Gonçalves, Presidente da Fenadegas.
A iniciativa “Vinho e Saúde”, integrada no programa europeu “Vinho com Moderação”, esteve já presente, em 2013, nas Escolas Profissionais de Grândola, Alter do Chão e Belmonte, juntando centenas de jovens em torno de um único objetivo: beber com moderação.
Os debates promovidos pela Fenadegas junto dos estudantes pretendem não só alertar para os riscos de um consumo excessivo de álcool, como acidentes rodoviários, doenças hepáticas e adição, mas também discutir os benefícios de uma ingestão moderada, como a prevenção de doenças cardiovasculares. Além do debate entre alunos e técnicos da Fenadegas, são postos em prática exercícios em que os jovens relatam as experiências pessoais com bebidas alcoólicas e avaliam a quantidade de álcool que potencia a embriaguez.
As Escolas Profissionais de Odivelas, Abrantes, Alcobaça, Santo Tirso, Marco de Canaveses, Vagos e Faro são as próximas a serem abrangidas pela iniciativa “Vinho e Saúde”.

Comentários