Onde fica o PRAZER ?


Após ler um artigo do Eric Asimov no seu blog The Pour, fiquei a reflectir sobre o assunto. Se há argumento que é invariavelmente referido, quando falamos no consumo de vinho, é o facto de o mesmo ser benéfico para a saúde, quando é feito com moderação. Este pressuposto parece suficientemente consensual entre médicos e população em geral, o que o torna evidentemente um facto sólido e provado.

Esta obsessão com a saúde faz lembrar um pouco os argumentos que a Volvo nos repetiu anos após anos, para vender os seus automóveis: "Segurança, Segurança e Segurança". Não podemos negar que essa estratégia teve os seus resultados, mas chegados a este ponto, na actualidade, perguntamos: Será que a Mercedes não é segura ? Será que os BMW não são seguros ? Se sim em que é que a Volvo se distingue actualmente dos restantes ?

Voltando ao vinho e ao seu factor benéfico para a saúde, sendo isso um facto mais do que repetido, as estratégias de comunicação, quer das marcas, quer dos organismos não se podem esquecer daquilo que nos leva a consumir vinhos. Na minha opinião, creio que nos pode estar aqui a escapar a maior razão de todas para continuarmos a venerar este néctar... Não será por PRAZER ???

Comentários