Angola ’salva’ vinho nacional


De acordo com declarações do vice-presidente da ViniPortugal, Paulo Amorim, à TSF “Angola, sobretudo depois de ter atingido a pacificação, voltou a transformar-se num mercado fundamental para os vinhos de Portugal», admitindo mesmo que foi o país de José Eduardo dos Santos que salvou o Natal a alguns produtores portugueses.

Com as exportações de vinho português a cair 3,5%, afectando particularmente o Vinho do Porto, que registou uma queda de 5%, correspondendo ao pior resultado da última década e meia, Amorim refere que, encontrando-se os mercados importadores dos vinhos portugueses em crise - Alemanha, Reino Unido e EUA - os produtores nacionais são obrigados a encontrar mercados alternativos.

Paulo Amorim sublinhou à TSF que algumas garrafeiras conseguiram compensar um mau Natal em termos de vinhos de prestígio “com exportações para Angola porque houve importadores angolanos que vieram aqui e compraram uma série de vinhos caros que alimentam uma elite que existe sobretudo em Luanda”.

Já Francisco Ferreira, administrador da Sogrape, salientou à mesma rádio que no mercado dos EUA se está a registar uma mudança nos hábitos de consumo, ou seja, os consumidores estão a mudar de produtos mais caros para mais baratos, afectando, naturalmente, o vinho.

“Isso, no mercado norte-americano, significa uma oportunidade para os vinhos portugueses que acabam por ter uma relação preço-qualidade mais interessante e acaba por ser uma forma de alguns consumidores terem tido pela primeira vez contacto com os vinhos portugueses”, concluiu Francisco Ferreira.

in "hipersuper"

Comentários