quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Vintage Lisboa Hotel apresenta nova carta Outono/Inverno


Combinações refinadas para uma experiência gastronómica memorável e o recurso a ingredientes da época são a aposta do restaurante Vintage para a nova carta Outono/Inverno acabada de estrear.

As propostas da equipa do chef Vitor Cardoso, desde as entradas, passando pelos pratos principais de peixe, carne e vegetarianos, até às imperdíveis sobremesas, são variadas e prometem deliciar os amantes da boa gastronomia.

Para iniciar a refeição, a sugestão recai na Empada de perdiz aromatizada com azeite de trufas e no Tataki de atum com guacamole. No tempo mais chuvoso há quem prefira aquecer o estômago com uma sopa e entre a do dia e a da Pedra, poderá haver ainda quem não resista ao Creme de espargos com queijo de cabra e nozes.

Entre os pratos principais são destacados o Lombo de bacalhau confitado com migas gatas, tomate cherry salteado com manjericão, azeitonas desidratadas e azeite, as Bochechas de porco estufado com puré de castanhas e grelos salteados e, para os que preferem uma versão vegetariana, o Risotto de abóbora, alho francês e courgette ou os Gnocchis de ricotta e espinafres com molho de tomate, pimentos e pesto.

Para sobremesa, que na escolha se revela (até para os menos gulosos) um guilty pleasure, as principais opções recaem sob o Pudim de mel com requeijão e doce de abóbora, a Tarte tatin de marmelos com gelado de baunilha, o Bolo de chocolate com mousse de côco e o Cheesecake de frutos vermelhos.

O restaurante Vintage recebe para almoço entre 12h00 e as 15h00 e para jantar das 19h00 às 23h30. Os preços médios de refeição rondam os 35€.

Sushic organiza jantar vínico com o enólogo Luís Pato


Na próxima 5ªfeira, dia 27 de Novembro, pelas 20.30h decorre mais um dos jantares vínicos organizados pelo restaurante Sushic, desta vez com a presença do enólogo Luís Pato. O proprietário e chef executivo Hugo Ribeiro, que elabora e o menu com tão importante produtor de vinhos da Bairrada, afirma “ Somos dos primeiros restaurantes de cozinha japonesa a fazer este tipo de ligação. A presença dos enólogos mostra como as relações entre vinho e comida são importantes e como cada vinho pode combinar com um prato de  outra cultura forma inusitada”. O jantar custa 40€ por pessoa e inclui o menu e os vinhos.
O enólogo Luis Pato estará presente no jantar explicando cada ligação.

O menu é composto por:
Tempura de lingueirão com aromas de Bulhão Pato
Espumante Luis Pato Blanc de Blanc

Combinado Sushic
Luis Pato Vinhas Velhas 2013

Composição de tártaro de Outono
Luis Pato Vinha Formal

Milfolhas de leitão com noisettes de laranja
Vinho surpresa do enólogo, servido em copo preto!

Sobremesa “Do Canelone para o Convento”
Luis Pato, Abafado Molecular branco

terça-feira, 25 de Novembro de 2014

Valle das Servas é a nova marca de vinhos alentejanos da família Serrano Mira



Os últimos anos têm sido ávidos de novidades no que toca ao projecto de vinhos alentejanos Herdade das Servas. Vários foram os novos lançamentos que os irmãos Carlos e Luís Serrano Mira colocaram no mercado, nomeadamente com a marca Herdade das Servas e com uma forte aposta em tintos de monocasta. A principal preocupação é a consistência na qualidade e no perfil traçado para cada referência. Chega agora a vez de lançarem dois vinhos, ambos tintos, na distribuição moderna: o ‘Valle das Servas Selection tinto 2011’ e o ‘Valle das Servas tinto 2012’.

Valle das Servas foi uma marca que os irmãos Serrano Mira idealizaram para a exportação, mas que agora chega ao mercado nacional. “Nesta primeira fase os vinhos Valle das Servas estão apenas disponíveis nas lojas de cash & carry Makro, estando a ser negociadas outras situações, nomeadamente com a cadeia Auchan. São vinhos com um posicionamento médio alto e médio, respectivamente; são ambos de lote e apresentam características alentejanas, mas com uma frescura e acidez notáveis; o Selection tem estágio em barricas e o tinto não.

O ‘Valle das Servas Selection tinto 2011’ conjuga numa só garrafa cinco castas, predominando a Touriga Nacional (40%), que afinou durante um ano em barricas de carvalho francês (70%) e americano (30%). As restantes variedades do blend – Alicante Bouschet, Aragonez, Trincadeira e Syrah – aguardaram em inox. Depois de estabelecido o lote, o vinho foi engarrafado e estagiou mais seis meses na cave do produtor. Com uma cor rubi escura, aromas profundos com nuances de frutos pretos muito maduros e notas de cacau e especiarias, é um tinto complexo, elegante, num conjunto bem estruturado de final agradável e persistente. Prevê-se uma boa evolução em garrafa durante cinco a sete anos, desde que conservado na horizontal em local fresco e escuro.

O ‘Valle das Servas tinto 2012’ é um vinho de consumo mais fácil, destinando-se ao dia-a-dia de um consumidor entendido. Neste caso são seis as castas presentes – Aragonez (40%), Alicante Bouschet (20%) Cabernet Sauvignon (15%), Touriga Nacional (15%), Touriga Franca (5%) e Castelão (5%) – não tendo nenhuma delas passado por madeira. Apresenta uma cor rubi e aroma a frutos vermelhos maduros, integrados com especiarias. É um tinto envolvente e com boa estrutura, taninos redondos num consumo agradável e persistente.

Preços de Venda ao Público Recomendados:
Valle das Servas tinto 2012 = € 3,79 + IVA
Valle das Servas Selection tinto 2011 = € 6,29 + IVA

sábado, 22 de Novembro de 2014

Porto Cálem sugere cocktails de vinho do Porto para cativar público mais jovem em Londres



Os consumidores britânicos têm demonstrado uma elevada receptividade e interesse nos cocktails com vinho do Porto preparados pelo mixologista Marlowe Harris em diversos bares e restaurantes de referência no Soho, em Londres. A convite da Sogevinus, Marlowe Harris esteve no Porto a apresentar nas Caves Cálem inúmeras sugestões de cocktails elaborados com Vinho do Porto em harmonia com outras bebidas. As diversas propostas surpreenderam o público que assistiu e se mostrou seduzido com a complexidade aromática e de paladar muito apropriada para diferentes momentos de consumo. Estes cocktails foram desenhados para 3 produtos da gama Cálem: o Cálem White & Dry, o Cálem LBV 2009 e o Cálem 10 anos e para irem ao encontro dos gostos dos vários consumidores.

Tânia Branco Oliveira, directora de Comunicação e RP da Sogevinus, salienta “É necessário aproximar o Vinho do Porto de consumidores mais jovens, retirando-lhe a conotação de vinho de referência apenas para pessoas mais seniores. O vinho do Porto tem uma variedade de estilos e perfis que, apresentados de forma assertiva, surpreendem os consumidores de todas as idades mesmo o de menor envolvimento com a categoria. O objectivo destas iniciativas é o de chegar a um público que está muito afastado do Vinho do Porto, surpreendendo e sugerindo novas forma de consumo.”
Marlow Harris acrescenta “Sou um grande apreciador de vinho do Porto, nomeadamente da categoria Colheita mas é difícil apresentar estes vinhos a públicos mais jovens. Acredito que temos de aproximar as pessoas do Vinho do Porto e tem sido impressionante a forma como os cocktails de vinho do Porto têm cativado novos públicos no Reino Unido. Neste mercado existia uma associação do consumo de vinho do Porto a um momento de solenidade, ou ao final da refeição acompanhando com queijo, mas de facto o Vinho do Porto pode e deve ser muito mais do que isso. Neste momento temos já uma série de bares a listar estes cocktails em Londres e é magnífico poder trabalhar com uma marca como a Cálem que não tem medo de sair do convencional.”
Alguns dos cocktails sugeridos foram:
Cocktail Cálem White & Dry Tipsy Florist by Dominik Wielocha at Evans & Peel Bar
Cocktail Cálem White & Dry The Pisco Kid by Kyle Wilkinson at Blind Pig Bar
Cocktail Cálem White & Dry Aperitivo Peruano by Fabiano Latham at Chotto Matte Bar
Cocktail Cálem LBV 2009 Port in a Storm by Dino Koletsas at Reverend JW Simpson Bar
Cocktail Cálem 10 years old Doghouse Reilly by Chris Tanner at The Library Bar

Vinhos do Douro e do Porto à prova no Brasil

 
Em novembro, os vinhos do Douro e do Porto estão à prova do outro lado do Atlântico, num conjunto de eventos promovidos pelo Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP). Depois de Nova Iorque e Washington, 10 e 12 de novembro respetivamente, e do Canadá, 17 de novembro em Toronto e dia 19 em Montreal, é a vez do Brasil receber as provas dirigidas a especialistas, jornalistas, distribuidores e apreciadores. O objetivo é reforçar a notoriedade dos vinhos da Região Demarcada do Douro e aumentar as exportações nestes mercados tradicionais e estratégicos para a contínua valorização das denominações de origem Porto e Douro. Para além das provas, vão decorrer master classes dirigidas exclusivamente a profissionais, orientadas pelo jornalista e crítico de vinhos Rui Falcão. No Brasil, a iniciativa acontece dia 24 no Rio de Janeiro e dia 25 em São Paulo. Estão já inscritos 1000 participantes.
 
De acordo com o presidente do IVDP “as provas nos EUA e Canadá suscitaram grande interesse nos diferentes públicos que aderiram de forma muito positiva. A presença dos jornalistas Mark Squires e Kim Marcus da reconhecida revista Wine Spectator na master class em Nova Iorque, reflete o prestígio dos vinhos da RDD neste importante mercado. O número já elevado de inscrições para a ação do Brasil revela sinais do grande potencial da iniciativa num mercado em que queremos estar com mais força”, conclui Manuel de Novaes Cabral que marcará presença na iniciativa.
 
Nos primeiros nove meses de 2014, no que respeita ao vinho do Porto, os EUA ocupam o quinto lugar no ranking em termos de volume de negócio, o Canadá está na sétima posição e o Brasil em 11º. Quanto aos DOP Douro, estes países ocupam o top 5. O Canadá é o segundo mercado, logo a seguir a Portugal, o Brasil está na quarta posição e os EUA estão em quinto lugar, registando uma subida do preço médio. No mesmo período, estes três mercados tiveram um comportamento positivo nas importações dos DOP Douro. No caso do vinho do Porto, é de destacar o crescimento da quantidade exportada para os EUA. O Canadá caracteriza-se por apresentar nos vinhos da RDD um preço médio muito superior ao global, bem como os EUA. Quanto ao Brasil, é de realçar o crescente desempenho dos DOP Douro.
 
Em 2013, as exportações de vinhos da RDD para os EUA representaram cerca de 60% do valor dos vinhos portugueses exportados para o mercado norte-americano. As exportações de vinhos da RDD para o Canadá representaram mais de 54% do valor total das exportações de vinhos portugueses para esse mercado. No caso do Brasil, constituem 28% do valor exportado para esse país.
 
PROGRAMA
 
RIO DE JANEIRO – 24 de Novembro
Caesar Park Rio de Janeiro Ipanema
Av. Vieira Souto, 460
22430 – 006 Rio de Janeiro / Brasil
Horário Prova Livre – 15h / 20h
Horário Master Class – 15h30 / 16h30 e 17h30 / 18h30
Mais informação: Alexandre Lalas alexandre.lalas@gmail.com
 
Prova Livre | 15h00-20h00
Vinícolas – Adriano Ramos Pinto; Bulas; Casa Santa Eufémia; Douro Family Estates; Duorum Vinhos; Pedro Carvalho; Quinta do Crasto; Quinto do Noval; Quinta dos Murças; Real Companhia Velha; Romaneira; Sogevinus; Sogrape; Vértice; Wine & Soul; Quinta do Passadouro; Taylor’s.
 
Prova Comentada | À Descoberta do Vinho do Porto | 15h30-16h30
Duorom Vintage 2007; Burmester LBV 2009; Santa Eufémia 40 anos; Real Companhia Velha 30 Anos; Bulas 20 Anos; Taylor’s 20 anos; Porto Quinta de Ervamoira 10 anos; Quinta da Romaneira 10 Year Old Tawny.
 
Prova Comentada | Uma Viagem pelo Douro | 17h30-18h30
Cedro do Noval; Compota Touriga Nacional; Crasto Reserva; DFE Signature; Murças Reserva; Papa Figos; Pintas Character; Quanta Terra Grande Reserva; Vértice Millésime.
 
SÃO PAULO – 25 de Novembro
Pullman Vila Olímpia – Caesar Business Faria Lima
Rua Olimpíadas, 205
04551 – 000 São Paulo / Brasil
Av. Vieira Souto, 460
22430 – 006 Rio de Janeiro / Brasil
Horário Prova Livre – 15h / 20h
Horário Master Class – 15h30 / 16h30 e 17h30 / 18h30
Mais informação: CH2A Comunicação admch2a@gmail.com
 
Prova Livre | 15h00-20h00
Vinícolas – Adriano Ramos Pinto; Bulas; Casa Santa Eufémia; Douro Family Estates; Douro Prime; Duorum Vinhos; Pedro Carvalho; Quinta do Crasto; Quinta do Noval; Quinta dos Murças; Real Companhia Velha; Romaneira; Sogevinus; Sogrape; Taylor’s; V. Leite de Faria; Vértice; Quanta Terra; Wine & Soul; Quinta do Passadouro.
 
Prova Comentada | À Descoberta do Vinho do Porto | 15h30-16h30
Duorom Vintage 2007; Burmester LBV 2009; Santa Eufémia 40 anos; Real Companhia Velha 30 Anos; Bulas 20 anos; Taylor's 20 anos; Quinta da Ervamoira 10 anos; Quinta da Romaneira 10 anos; Crasto Porto Vintage; Pintas 10 Anos.
 
Prova Comentada | Uma Viagem pelo Douro | 17h30-18h30
Cedro do Noval; Compota Touriga Nacional; DFE Signature; Gloria Reserva; Inquieto Touriga Nacional; Murças Reserva; Papa Figos; Quanta Terra Grande Reserva; Vértice Millésime.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...